logo psicologos em brasília_Mesa de trabajo 1

O que é Delirium?

Delirium, também conhecido como estado confusional agudo, é um distúrbio neuropsiquiátrico caracterizado por uma alteração aguda e flutuante da consciência, atenção e cognição. É uma condição grave que pode ocorrer em pessoas de todas as idades, mas é mais comum em idosos e em pacientes hospitalizados. O delirium é frequentemente causado por uma doença subjacente, como infecções, desequilíbrios eletrolíticos, uso de medicamentos ou abstinência de substâncias.

Causas do Delirium

O delirium pode ser causado por uma variedade de fatores, incluindo doenças físicas, uso de medicamentos, abstinência de substâncias e condições ambientais. Algumas das causas mais comuns incluem infecções, como pneumonia ou infecção do trato urinário, desequilíbrios eletrolíticos, como baixos níveis de sódio ou potássio, uso de medicamentos sedativos, como benzodiazepínicos ou opioides, abstinência de álcool ou drogas, e hospitalização ou internação em unidades de terapia intensiva.

Sintomas do Delirium

Os sintomas do delirium podem variar de pessoa para pessoa, mas geralmente incluem uma alteração aguda da consciência, dificuldade em manter a atenção, desorientação no tempo e no espaço, dificuldade em falar ou compreender a linguagem, alucinações ou ilusões, agitação ou letargia, e distúrbios do sono, como insônia ou sonolência excessiva. Esses sintomas podem flutuar ao longo do dia e piorar durante a noite.

Diagnóstico do Delirium

O diagnóstico do delirium é baseado na avaliação clínica do paciente, incluindo a história médica, exame físico e exames complementares. O médico irá avaliar os sintomas do paciente, a duração e a gravidade do delirium, bem como a presença de fatores de risco, como idade avançada, doenças crônicas ou uso de medicamentos. Além disso, exames de sangue e de imagem podem ser solicitados para descartar outras condições médicas que possam estar causando os sintomas.

Tratamento do Delirium

O tratamento do delirium depende da causa subjacente e dos sintomas apresentados pelo paciente. Em muitos casos, o tratamento envolve a identificação e o tratamento da doença subjacente, como infecções ou desequilíbrios eletrolíticos. Além disso, medidas não farmacológicas, como a criação de um ambiente calmo e familiar, a promoção de uma boa higiene do sono e a orientação adequada do paciente, podem ser úteis para reduzir os sintomas do delirium. Em alguns casos, medicamentos sedativos ou antipsicóticos podem ser prescritos para controlar a agitação ou as alucinações.

Prevenção do Delirium

A prevenção do delirium envolve a identificação e o tratamento precoce de fatores de risco, como infecções, desequilíbrios eletrolíticos ou uso de medicamentos sedativos. Além disso, é importante criar um ambiente calmo e familiar para o paciente, com uma rotina diária estruturada, boa higiene do sono e estimulação cognitiva adequada. A equipe de saúde também deve estar atenta aos sinais precoces de delirium e intervir prontamente para evitar complicações.

Complicações do Delirium

O delirium é uma condição grave que pode levar a complicações significativas, tanto para o paciente quanto para seus cuidadores. Os pacientes com delirium têm maior risco de quedas, lesões, infecções e piora do estado de saúde geral. Além disso, o delirium está associado a um aumento do tempo de internação hospitalar, maior necessidade de cuidados intensivos e maior mortalidade. É importante reconhecer e tratar o delirium precocemente para minimizar essas complicações.

Conclusão

Em resumo, o delirium é um distúrbio neuropsiquiátrico caracterizado por uma alteração aguda e flutuante da consciência, atenção e cognição. Pode ser causado por uma variedade de fatores, incluindo doenças físicas, uso de medicamentos, abstinência de substâncias e condições ambientais. Os sintomas do delirium podem variar, mas geralmente incluem alteração da consciência, dificuldade em manter a atenção e desorientação. O diagnóstico é baseado na avaliação clínica e exames complementares. O tratamento envolve a identificação e o tratamento da causa subjacente, bem como medidas não farmacológicas e, em alguns casos, medicamentos. A prevenção do delirium envolve a identificação e o tratamento precoce de fatores de risco, além de criar um ambiente calmo e familiar. O delirium pode levar a complicações significativas, portanto, é importante reconhecê-lo e tratá-lo precocemente.