logo psicologos em brasília_Mesa de trabajo 1

O que é: Orientação existencial-humanista

A orientação existencial-humanista é uma abordagem terapêutica que se baseia na filosofia existencial e na psicologia humanista. Ela busca compreender o ser humano em sua totalidade, considerando sua liberdade, responsabilidade e busca por sentido na vida. Neste glossário, exploraremos os principais conceitos e ideias relacionados a essa abordagem, fornecendo uma visão detalhada e técnica sobre o assunto.

1. Filosofia Existencial

A filosofia existencial é um ramo da filosofia que se concentra na análise da existência humana e nas questões relacionadas à liberdade, responsabilidade, angústia e busca por sentido. Ela enfatiza a importância da experiência individual e da escolha pessoal na construção da vida e na definição de valores e propósitos.

2. Psicologia Humanista

A psicologia humanista é uma abordagem psicológica que valoriza a experiência subjetiva, a autenticidade e o crescimento pessoal. Ela enfatiza a importância do autoconhecimento, da autorrealização e do desenvolvimento pleno do potencial humano. Na orientação existencial-humanista, a psicologia humanista é combinada com os princípios da filosofia existencial.

3. Liberdade e Responsabilidade

Um dos principais temas abordados na orientação existencial-humanista é a relação entre liberdade e responsabilidade. Segundo essa abordagem, o ser humano é livre para fazer escolhas e tomar decisões, mas também é responsável pelas consequências de suas ações. A liberdade implica em assumir a responsabilidade por si mesmo e por suas escolhas, o que pode gerar angústia, mas também possibilita o crescimento e a autenticidade.

4. Busca por Sentido

A busca por sentido é outro conceito central na orientação existencial-humanista. Ela se refere à necessidade humana de encontrar um propósito e significado na vida. Segundo essa abordagem, a falta de sentido pode levar a sentimentos de vazio, desespero e desorientação. A terapia existencial-humanista busca ajudar o indivíduo a explorar e encontrar seu próprio sentido de vida, levando em consideração suas experiências, valores e aspirações.

5. Autenticidade e Autenticidade

A autenticidade e a autenticidade são valores fundamentais na orientação existencial-humanista. A autenticidade se refere à capacidade de ser verdadeiro consigo mesmo, de agir de acordo com seus próprios valores e crenças, em vez de se conformar às expectativas dos outros. A autenticidade envolve a coragem de expressar-se de forma genuína e de viver de acordo com seus próprios princípios. Esses valores são considerados essenciais para o crescimento pessoal e para a construção de relacionamentos saudáveis e significativos.

6. Experiência Existencial

A experiência existencial é o foco da orientação existencial-humanista. Ela se refere às vivências e percepções individuais, às emoções, aos desafios e às questões existenciais que cada pessoa enfrenta ao longo da vida. A terapia existencial-humanista busca compreender e explorar essas experiências, ajudando o indivíduo a encontrar significado, a lidar com a angústia e a desenvolver uma maior consciência de si mesmo.

7. Relação Terapêutica

A relação terapêutica é um elemento fundamental na orientação existencial-humanista. Ela se baseia na confiança, na empatia e no respeito mútuo entre o terapeuta e o cliente. O terapeuta atua como um facilitador, ajudando o cliente a explorar suas experiências, emoções e questões existenciais. A relação terapêutica é vista como um espaço seguro e acolhedor, onde o cliente pode se expressar livremente e buscar o autoconhecimento e o crescimento pessoal.

8. Técnicas e Abordagens Terapêuticas

A orientação existencial-humanista utiliza uma variedade de técnicas e abordagens terapêuticas para auxiliar o cliente em seu processo de autoexploração e crescimento pessoal. Alguns exemplos incluem a reflexão sobre a liberdade e a responsabilidade, a exploração de valores e significados, o questionamento de crenças limitantes e a promoção da autenticidade e da expressão emocional. Cada terapeuta pode adaptar essas técnicas de acordo com as necessidades e preferências individuais do cliente.

9. Aplicações da Orientação Existencial-Humanista

A orientação existencial-humanista pode ser aplicada em uma variedade de contextos, incluindo a psicoterapia individual, de casal e de grupo, a orientação vocacional e profissional, a educação e o desenvolvimento pessoal. Ela pode ser útil para pessoas que buscam um maior autoconhecimento, que enfrentam crises existenciais, que desejam encontrar um propósito de vida mais significativo ou que desejam melhorar seus relacionamentos e sua qualidade de vida.

10. Críticas e Limitações

Como qualquer abordagem terapêutica, a orientação existencial-humanista também possui críticas e limitações. Alguns críticos argumentam que ela pode ser excessivamente individualista e subjetiva, negligenciando aspectos sociais e culturais. Além disso, a abordagem pode não ser adequada para todos os indivíduos, especialmente aqueles que preferem uma abordagem mais estruturada e direcionada para a resolução de problemas.

11. Profissionais e Formação

Profissionais que trabalham com a orientação existencial-humanista podem incluir psicólogos, psicoterapeutas, orientadores vocacionais e educacionais, entre outros. A formação nessa abordagem geralmente envolve a obtenção de um diploma de graduação em psicologia ou áreas relacionadas, seguido de especialização em terapia existencial-humanista. Além disso, é importante que o profissional esteja em constante desenvolvimento pessoal e profissional, participando de supervisão e formação continuada.

12. Contribuições para a Psicologia

A orientação existencial-humanista tem contribuído significativamente para a psicologia, trazendo uma abordagem mais humanizada e centrada na pessoa. Ela enfatiza a importância do respeito à individualidade, da valorização da subjetividade e da busca por sentido na vida. Além disso, a abordagem tem influenciado outras correntes terapêuticas, como a psicoterapia centrada no cliente e a terapia gestalt, ampliando o leque de opções terapêuticas disponíveis.

13. Considerações Finais

A orientação existencial-humanista é uma abordagem terapêutica que busca compreender o ser humano em sua totalidade, considerando sua liberdade, responsabilidade e busca por sentido. Ela combina princípios da filosofia existencial e da psicologia humanista, enfatizando a importância da autenticidade, da busca por sentido e da relação terapêutica. Embora tenha suas críticas e limitações, a abordagem tem contribuído para a psicologia, oferecendo uma perspectiva mais humanizada e centrada na pessoa.